Secretaria da Saúde alerta sobre prevenção e controle do diabetes

 

Ao se referir ao Dia mundial e Nacional de Diabetes, no último sábado (14), o secretário estadual da Saúde disse que neste momento de pandemia as pessoas que vivem com o diabetes não devem se descuidar, precisam intensificar os cuidados e as medidas de proteção. “A doença apresenta condições de risco para possíveis complicações de síndrome gripal, como a infecção pelo coronavírus”, afirmou.

Segundo ele, os serviços de saúde nas áreas da Atenção Primária, Laboratorial e Hospitalar seguem os atendimentos e tratamentos com diabetes de acordo com os protocolos de segurança estabelecidos pela pandemia.

Dados da Secretaria de Estado da Saúde apontam que no Paraná cerca de 82% dos mais de 5 mil óbitos pela Covid-19 apresentavam um fator de risco associado, sendo que em 32,38% tinham o diabetes presente.

A Secretaria publicou, em abril, a Nota Orientativa no. 32 indicando aos profissionais dos serviços de saúde os cuidados às pessoas com hipertensão arterial sistêmica e diabetes diante da Covid-19. O documento também traz informações para os pacientes, familiares e cuidadores.

As principais considerações são para a programação a manutenção do monitoramento e tratamento buscando, principalmente, alternativas de atendimento por meio de tecnologias de comunicação virtual.

“É fundamental manter o tratamento e demais orientações conforme o plano de cuidado e não hesitar em procurar orientações da equipe de saúde quando necessário; no SUS, as unidades de saúde realizam a prevenção, detecção, controle, monitoramento e tratamento medicamentoso dos usuários com diabetes”, afirmou a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Sesa, Maria Goretti David Lopes.

Todas as orientações foram aprovadas pelo COE (Comitê de Operações em Emergências) e seguem válidas e estão publicadas no site da Secretaria (saúde.gov.pr.br).

CAMPANHA – O Dia Mundial do Diabetes envolve a maior campanha mundial de conscientização sobre a doença. O tema do Dia Mundial da Diabetes de 2020 é “O enfermeiro e a Diabetes”, destacando o papel desse profissional no tratamento da doença. Tanto na realização da consulta de enfermagem como em todo o processo da educação em diabetes, com orientações sobre autocuidado e prevenção de complicações da doença.

DIABETES – A doença é caracterizada pelo excesso de açúcar no sangue, onde as células do corpo ficam com pouca energia e o sangue repleto de glicose.

O diabetes tipo 1 é um distúrbio caracterizado pela destruição das células produtoras de insulina, através de mecanismos imunológicos. Quando isso acontece, é preciso fazer a reposição para se manter saudável e com qualidade de vida.

O diabetes do tipo 2 tem um fator hereditário maior do que no tipo 1. Além disso, há uma grande relação com a obesidade e o sedentarismo. O diabetes tipo 2 é responsável por 95% dos casos é está muito relacionado ao estilo de vida, sendo prevenido por meio da adoção de hábitos de vida.

“É importante lembrar que este tipo é praticamente assintomático, o que pode ocasionar a identificação apenas quando já começam a surgir as complicações”, explica a coordenadora de Promoção da Saúde da Sesa, Elaine Vieira. “Se não tratado, pode levar a agravamentos bastante prejudiciais à saúde, incluindo infecções, insuficiência renal, infarto do miocárdio, derrame cerebral e doenças vasculares, até gangrena de braços e pernas, podendo levar à amputação de membros inferiores”.

No período de 2014 a 2018 as Doenças Crônicas Não Transmissíveis foram responsáveis por mais da metade das mortes no Paraná, tendo como causas as doenças do aparelho circulatório, as neoplasias malignas, o diabete mellitus e as doenças respiratórias crônicas. Sendo que aproximadamente 42% desses óbitos ocorreram na faixa etária de 30 a 69 anos, classificadas como mortes prematuras. O diabetes ocupa o terceiro lugar entre estas causas.

PREVENÇÃO - “Com diagnóstico precoce é possível inclusive reverter a doença, com mudança dos hábitos alimentares e prática de atividade física”, disse a enfermeira e chefe da Divisão de Prevenção e Controle das Doenças Crônicas, Rejane Tabuti.

“É fundamental que as pessoas estejam informadas, conscientizadas e saibam agir frente aos sintomas de alerta e aprendam também a controlar o diabetes”, disse a coordenadora. “É importante comparecer às consultas agendadas e tomar os medicamentos conforme a receita, fazer ingestão de alimentos indicados, manter o peso corporal, realizar atividade física regularmente, alcançar e manter suas metas de glicemia e pressão arterial, evitar o consumo de bebidas alcoólicas e não fumar”, acrescentou.


Voltar

Notícias

03 dez

Professor Nereu Milanese será o novo Presidente da APADE

03 dez

Veja quem foram os sócios sorteados para os imóveis do Litoral na temporada de verão

03 dez

Imóveis do Litoral são sanitizados para oferecer mais segurança aos sócios

Mais notícias

Fone: (41) 3323.6493

Endereço: Rua Des. Ermelino de Leão, 15 - 8º Andar - Curitiba - Centro - 80410-230

Aniversariantes
© Copyright 2015, administraçao escolar curitiba - Todos os direitos reservados