Cunha diz que recurso sobre impeachment será apresentado ao STF

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, informou, nesta quarta-feira (14), que irá encaminhar ao Supremo Tribunal Federal (STF) até a sexta-feira (16) um recurso contra as liminares dos ministros Teori Zavascki e Rosa Weber que suspendem o rito, na Câmara, dos pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

A oposição, que havia apresentado questão de ordem pedindo a Cunha para definir o rito do impeachment, quer que as três liminares sejam julgadas pelo plenário do STF.

"Até a sexta-feira, vamos concluir [o recurso]. Temos de apresentar uma peça bem feita; se fizermos uma coisa muito açodada, detalhes poderão fazer falta. Estamos formando um convencimento e pretendo, pessoalmente, olhar cada detalhe da resposta", explicou o presidente. Ele voltou a afirmar que as liminares dos ministros do Supremo não retiram o seu poder constitucional de deferir ou indeferir os pedidos de impeachment. “Tanto que ontem proferi decisão de rejeitar cinco pedidos”, lembrou.

Quanto à possibilidade de estar sendo pressionado pelo governo e pela oposição para deliberar sobre os pedidos de impeachment de Dilma, Cunha observou que “a pressão faz parte do jogo da política”. Ele voltou a ressaltar que as suas decisões serão técnicas e institucionais.

De acordo com documento entregue a Cunha pelos líderes da oposição para que a Câmara recorra das liminares, “a possibilidade de apresentação de recursos a questões de ordem é matéria exclusivamente regimental (...) e a interpretação quanto ao momento em que devem ser apresentados compete privativamente ao presidente da Casa, no uso de suas prerrogativas”.

O líder do DEM, deputado Mendonça Filho (PE), afirmou que vai respeitar as decisões do STF até o julgamento do recurso. Ele criticou a presidente Dilma por ter dito, na terça-feira, que o processo de impeachment seria um golpe e por ter perguntado quem teria força moral, reputação ilibada e biografia limpa para atacar a sua honra.

"Se a Petrobras é o grande exemplo moral do governo do PT e da presidente Dilma, temos uma referência negativa. Ela deveria conviver com as críticas da oposição de forma respeitosa", disse Mendonça Filho. “O governo sempre se mostra arrogante nos momentos em que alcança uma vitória, por menor que seja. O tom é de palanque, não é o tom correto para quem busca harmonia”, completou.


Voltar

Notícias

26 jan

APADE retornará do recesso no dia 1º de fevereiro

26 jan

Confira tabela atualizada de imóveis disponíveis para a temporada de verão

26 jan

Fique sócio e utilize os imóveis da APADE no litoral

Mais notícias

Fone: (41) 3323.6493

Endereço: Rua Des. Ermelino de Leão, 15 - 8º Andar - Curitiba - Centro - 80410-230

Aniversariantes
© Copyright 2015, administraçao escolar curitiba - Todos os direitos reservados